Buscar
  • Claudio Senna Venzke

Meditar para quê?

Atualizado: 19 de jul. de 2021

Neste artigo falo sobre o que considero o objetivo mais profundo da meditação.



No início dos anos 90 conheci a Associação Meditar em Porto Alegre, então conduzida por Enio Burgos e Tamas Virag. Neste espaço pude aprofundar as práticas meditativas que já conhecia e aprender novas técnicas, em retiros e encontros semanais. Nesta época, as práticas de meditação estavam praticamente restritas aos grupos que buscavam um crescimento espiritual, mas daquele tempo até hoje muita coisa mudou. Com o difusão de um método desenvolvido a partir da Universidade de Massachusetts, EUA, denominado Mindfulness-Based Stress Reduction (MBSR), o termo "mindfulness" hoje pode ser visto em diferentes contextos, como a área da saúde, educação, empresas e até mesmo na política e área militar. Com isto, abriu-se um grande campo de pesquisa científica, voltado a comprovar os benefícios de programas de meditação baseados neste método. Embora o termo "mindfulness" esteja associado ao método citado , cabe aqui salientar que sua essência é muito mais antiga, sendo inspirado pela palavra "sati" do dialeto Pali, da época de Buda, que significa algo como intenção da mente, atenção plena, estado de alerta, lucidez da mente, consciência e autoconsciência. Sati é então muito mais do que um método ou uma técnica, é um estado mental que pode ser alcançado por meio de diferentes técnicas, dentre elas as de meditação. Segundo o monge budista Thich Nhat Hanh este estado pode ser contínuo, tocando a vida profundamente em cada momento das nossas atividades diárias. Para ele, ser consciente é estar verdadeiramente vivo, presente e em união com aqueles ao nosso redor e com o que estamos fazendo. Pois bem, neste ponto que entra a questão colocada na foto: para que meditar? As pesquisas científicas, amplamente divulgadas, apontam vários benefícios da meditação, como redução de estresse, aumento do foco, melhor controle emocional, melhorias cognitivas e até mesmo aumento da produtividade. Ou seja, podemos ficar mais inteligentes emocional e cognitivamente, além de melhorar fisicamente. Mas e quanto ao desenvolvimento de outra importante inteligência, a espiritual? O quanto se busca isto por meio da meditação? A inteligência espiritual é uma dimensão superior da inteligência, que ativa as qualidades e capacidades do eu autêntico, na forma de sabedoria, compaixão, integridade, ética, alegria, amor, criatividade e paz. A inteligência espiritual fornece, então, um sentido positivo às inteligências cognitiva e emocional. Desta forma, convido a todos que já meditam ou com a intenção de começarem a meditar, que estejam abertos ao despertar da inteligência espiritual.


" Mindfulness é um estado contínuo, tocando a vida profundamente em cada momento das nossas atividades diárias. Ser consciente é estar verdadeiramente vivo, presente e em união com aqueles ao nosso redor e com o que estamos fazendo". Thich Nhat Hanh


Que usem as técnicas meditativas para desenvolver a ética e a compaixão, gerando prosperidade no mundo, em todos os sentidos, e não apenas com uma visão de ganho individual. Quando conduzo práticas, workshops ou retiros de meditação, em diferentes contextos, busco criar um ambiente propício para que a inteligência espiritual também se desenvolva, buscando uma realização mais plena que as práticas de meditação podem trazer. Se você concorda, ou não, com este posicionamento, por gentileza me envie mensagem para conversarmos sobre o assunto.

Abraços.


#meditacao #mindfulness #inteligênciaespiritual

25 visualizações0 comentário